Conversinha de propósito

Sou do tempo em que o termo PROPÓSITO era usado de forma distinta, em geral na frase: Você (ela, ela, fulano) fez isso de propósito! Ou seja, não foi sem querer, foi deliberadamente, por sua própria vontade. E em geral o que a tal pessoa tinha feito não era algo nobre. Pelo menos não do ponto de vista de quem estava proferindo a frase.
Hoje vivemos uma época diferente, em que as pessoas e as empresas se tornam párias da sociedade se não tiverem, não souberem claramente exprimir, e principalmente, se não escreverem sobre em toda a comunicação que fazem nas redes sociais, um propósito nobre.
Para mim, já deu no saco essa overdose de propósito. Se eu trabalhasse em agência de comunicação, ia me matar, para não ter de criar um propósito novo todos os dias, escrever a palavra propósito o dia todo, fazer press-releases sobre o propósito daquela empresa.
Algum dia um gênio da humanidade acordou e teve a sacada: novo milênio, tantos conflitos, tantos problemas, uma enxurrada de informações a cada segundo, as pessoas estão angustiadas, e precisam se agarrar a algo. Pimba! Esse algo é um propósito.
A partir daí, a conversinha DO propósito, que foi criada DE propósito, virou lei, como acontece também com gratidão, sustentabilidade, e outras. É proibido ter um negócio ou uma carreira que não tenha um propósito nobre e claro. Não vale o propósito de ganhar dinheiro para o bem-estar da sua família ou o seu próprio. Propósito de ter lucro então é coisa de Lucifer (personagem fantástico da série de mesmo nome da Netflix). Propósito de contribuir com as famílias dos funcionários, pelo emprego e salário que a eles é oferecido, já é melhor, mas também ainda é pouco.
Muitas empresas também gostaram dessa história DE propósito. Percebiam já que muitos funcionários, em geral os melhores, estavam com ideias de independência, de negócios próprios, de anos sabáticos, e estava ficando difícil contratar e manter bons quadros. Pimba! Vamos dar à empresa um propósito nobre, que até mês passado ela não tinha, e carimba-lo na testa de todos eles, diariamente, sem titubear. Assim, se acreditarem que estão ajudando o mundo, a selva, os animais, a África, o lula ou qualquer outra entidade distante e nebulosa, vai tudo ficar mais fácil.
E assim o propósito floresceu, deu frutos, espalhou o pólen pelo ar, e está todos os dias na sua cara em todos os lugares, para que você possa se sentir um ser satânico caso não tenha um propósito nobre para abraçar e chamar de seu.
A propósito, qual seria o propósito da Ambev?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *