Dia do Profissional de Educação Física

Hoje é nosso dia. Reproduzo aqui alguns trechos do meu livro, publicado há 19 anos:
“Era uma vez um jovem em idade pré-vestibular que entre as inúmeras opções de carreira disponíveis resolveu optar pela EF. Durante toda sua vida havia sido um apaixonado pelas atividades motoras de qualquer natureza; recreativas, de condicionamento, competitivas…lá estava ele sempre disposto a participar. Ao comunicar sua decisão aos pais, a aceitação não foi lá essas coisas. Na verdade, foi bem ruim. A mãe, como todas as mães geralmente fazem, disse que não era a profissão que ela havia sonhado para ele, mas que se era o que ele realmente queria, ela o apoiaria e o importante era sua felicidade, sua realização e… ‘eu te amo meu filho’. Já o pai foi mais direto e incisivo: ‘Eu já vi que você não quer nada com o trabalho mesmo! Agora vai ficar 4 anos jogando bola e tomando sol na faculdade, e a besta aqui trabalhando para pagar seus ‘estudos’. ..”
“Muitos dos colegas que conheci nos tempos de faculdade e que tinham sempre notas excelentes, um aproveitamento elogiado pelos mestres, hoje estão em empregos medíocres, com salários idem, descontentes com a própria vida e vários deles já abandonaram a profissão.”
“Se o conteúdo deste livro puder ser resumido em poucas palavras, eu escolheria estas: É possível sim ter sucesso, ser feliz, realizado, viver uma vida plena, com ÉTICA e DIGNIDADE. Na Educação Física.”
“Creio que temos todos nessa profissão um futuro instigante à nossa frente e todas as condições para fazê-lo brilhante e desafiador. Cabe-nos a consciência e a aceitação de nossa responsabilidade maior, aquela que tem estado presente em toda a história da humanidade sempre como ação arrebatadora, inexorável, seja de cada indivíduo ou de toda a sociedade: EVOLUIR.”
É engraçado ver algo que foi escrito há quase 20 anos. O futuro já chegou. Será que atualmente os pais tem menos preconceito com a profissão de EF? Será que muita gente ainda abandona a profissão precocemente? Será que no país da falta de ética e da pouca dignidade, a EF apresenta-se como um baluarte das mesmas? Será enfim que, nestes quase 20 anos, EVOLUIMOS?
Deixo as perguntas e as respostas para vocês, meus AMIGOS. A EF me proporcionou muita coisa. Acima de todas elas (e eu sei que soa piegas), muitos AMIGOS. Amigos de carne e osso, pessoas com problemas, com vitórias, com sucessos, com filhos, com emoções, com esperanças. Pessoas vibrantes, apaixonadas pela profissão que escolheram. E essas, não há como negar, a EF tem de sobra. E eu sou grato por isso.
“Um amigo é alguém que gosta de você, apesar do seu sucesso” – Winston Churchil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *