Fórmula Academia

A maioria de vocês certamente conhece ou pelo menos já ouviu falar da Fórmula Academia, acredito. Os mais jovens no entanto, podem não saber como começou ou o que representou essa marca. Agora que infelizmente acabou (na prática), sinto-me à vontade para palpitar a respeito dessa história.

A Fórmula Academia surgiu no início dos anos 90, em São Paulo, no Shopping Eldorado. 9 mil metros quadrados de instalações excelentes e pela 1ª vez, a sala de musculação no centro de tudo. Só com equipamentos importados, o que na época não era comum. Era o sinal inequívoco da mudança que já acontecia, do aumento da importância da musculação nas academias e para os consumidores. A ginástica de grupo já não seria o carro-chefe e ali isso ficava fisicamente evidenciado. Durante muitos anos a Fórmula Academia foi um ícone, simbolizando a academia premium, completa, multi-atividades.

Fast Forward no tempo e chegamos aos anos 2000. O grupo Bodytech estava em um processo de crescimento via consolidação, comprando várias academias por todo o país, que passavam a se chamar Bodytech. A Fórmula Academia é comprada, reformada, ampliada e torna-se então Bodytech, mantendo as características premium, multi-atividades, etc.

Mais um Fast Forward (2012) e o grupo BT (agora alavancado pelo novo sócio, BTG Pactual) anuncia o “retorno” da marca Fórmula Academia ao mercado. E ela reaparece. Para surpresa, espanto e até indignação de alguns, como uma marca de middle market, academias de 800-1200 m², ticket de R$ 100-180, foco em musculação e ginástica. Ou seja, exceto pela manutenção do logotipo, totalmente desfigurada. Objetivo: ser a maior rede de academias franqueadas do país.

2015: o BTG Pactual anuncia que reduzirá os investimentos em academias face ao agravamento da crise econômica no país.

E chegamos ao momento presente. A Fórmula Academia tem 2 unidades na cidade de São Paulo. Não me dei ao trabalho de contar no restante do país. Ter 2 unidades na maior cidade do país, onde está o maior mercado consumidor, e a maior renda, digamos que não é lá grande coisa.

Os fãs da Fórmula original (trocadilho bom…mudaram a fórmula e a Fórmula desandou) como eu se perguntam porque isso aconteceu. E aí é que entram os palpites.

– uma marca existe de verdade apenas nas mentes e no coração dos consumidores que a apreciam. E é aí que ela significa alguma coisa. Quando você muda o foco e o posicionamento, mantendo a marca, na verdade nao mantém nada, só o logotipo.
– em 2003 o fundador da Planet Fitness (marca low cost dominante nos EUA, com mais de 1000 unidades) declarou: “as academias no meio vão sofrer um bocado”. Que meio? o meio do caminho, o tal middle market. E ele disse isso 5 anos antes da recessão economica nos EUA. Portanto era previsível COM ou SEM crise, que isso aconteceria, como aconteceu por lá. Combater a Smartfit com uma academia de R$150? Só com muita imaginação…;
– o ponto mais importante para mim: qual o diferencial da nova Fórmula? Alguém saberia dizer? Uma franquia tem de ter um diferencial claro, para atrair franqueados e consumidores. A Fórmula tornou-se apenas uma academia normal, com equipamentos bons. Tem um monte por aí. Nenhum programa diferenciado, nenhuma garantia incondicional de resultados, nada. Somente o logotipo do que outrora fora sim uma academia única;
– quero salientar que essas questões me provocam desde o anúncio da nova Fórmula. Bem antes da crise e do mercado ficar ruim como está agora. Infelizmente não achei que ia dar certo. Não tinha como. E já tinha inclusive um exemplo bom de franquia com a mesma característica, que também achava ter uma marca boa, e que afundou sem nem mesmo chegar a flutuar: a Pelé Club. Qual a diferença real, palpável, significativa, atrativa aos consumidores, entre uma e outra?

Vamos em frente amigos! a recuperação está chegando e quem souber o que está fazendo e para quem faz, estará no topo em breve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *