A pandemia acelerou muita coisa. Ouvimos isso o tempo todo agora. E é verdade. Do home-office à adoção de tecnologias antes pouco usadas, da consulta online ao crescimento inigualável do delivery, houve mudanças para todos os lados.

E aconteceu também a aceleração de algo que não deveria nem existir: a tentativa incessante de VENDER PROMESSAS ao invés de SOLUÇÕES, na internet.

Com muitos profissionais ficando desempregados ou com renda reduzida, com a proliferação massiva de “lives” e com os inúmeros métodos de conquistar audiência disseminados por aí, tornou-se comum e abundante a “enganação digital”.

PROMESSA DE SOLUÇÃO NÃO É SOLUÇÃO

Milhares de pessoas, empresas e principalmente gurus, ofertando ininterruptamente a PROMESSA DE SOLUÇÃO de algum problema para alguém. A promessa sim, mas nem sempre a solução.

E quando o comprador daquela promessa não consegue alcançar a solução, coloca-se a culpa nele. Invertendo o princípio secular das promessas.

Quando alguém faz uma promessa para outra pessoa (ou mesmo uma entidade divina), quem tem de cumprir a promessa? Quem a fez, certo?

A INVERSÃO DO PRINCÍPIO DAS PROMESSAS

Pois os marketeiros digitais inverteram esse princípio: a promessa é de que você irá faturar tanto em tanto tempo, mas se você não conseguir, é porque não fez o que deveria fazer. Não teve garra, não teve coragem, não foi resiliente… e por aí vai.

É como colocar a culpa em Deus quando você não cumprir a promessa que fez a ele.

“É SÓ MARKETING”

Há muito tempo, infelizmente, o marketing é visto por grande parte das pessoas como algo mentiroso, enganador. “Ah, isso é só marketing” é uma frase muito usada quando alguém se vê enganado, ou não confia naquele produto ou empresa. Sempre lutei para combater essa ideia, pois o verdadeiro marketing não é isso.

Mas confesso que agora está difícil lutar contra esse entendimento, pois a banalização das promessas que podem ou não ser cumpridas, DEPENDENDO de QUEM ACREDITOU na promessa, e NÃO DE QUEM PROMETEU (!) está puxando ainda mais para o fundo a credibilidade do marketing.

O personal trainer que promete no Instagram emagrecer quem comprar seu programa e quando o cliente não emagrece, adivinhe de quem é a culpa?

O curso online que promete ao profissional que ele irá dobrar ou triplicar sua renda. Não deu certo? Culpa sua…

Tenho certeza de que isso irá passar. Já aconteceu antes, quando os produtos e serviços não tinham a qualidade esperada e o consumidor ficava “a ver navios”. Muito antes da era digital. Aos poucos os consumidores ficaram mais diplomados em consumir e isso mudou. A era digital nos trouxe de volta uma situação análoga.

A ESPERANÇA

Mas como dizem, na era digital tudo é muito rápido, a velocidade das mudanças é sem precedentes, etc. Então espero que muito rapidamente possamos voltar à razão, escolher a solução ao invés da promessa de solução.

Ou em uma linguagem mais simples e direta, vamos parar de ser trouxas. Trouxas digitais.

Marcos Tadeu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *